domingo, 24 de outubro de 2010

Teatro Para Alguém apresenta '1,26' minipeça de Zen Salles

Quando o Zen Salles me convidou pela 3ª ou 4ª vez para participar da montagem de uma peça sua, pensei comigo, não posso mais dizer não. É engraçado, mas o que ganhou não foi nem o convite do Zen, mas o convite da peça '1,26' que é contemporânea por sua temática e pela linguagem de temporada que o Teatro Para Alguém realiza.
Pra quem não conhece, vale muito a pena passar pelo site www.teatroparaalguem.com.br e conferir trabalhos de qualidade desta nova maneira de se fazer teatro. Em 2009 tive a oportunidade de participar como dramaturgo com a peça "Algo a Dizer" e diretor em "Minhas Roupas" e "Quem é?", também disponíveis no site.

Voltando a '1,26' não posso deixar de colocar o prazer que foi trabalhar - mesmo que por tempo limitado - com o diretor Lucianno Maza (leia-se www.cadernoteatral.com.br),  o ator Rui Xavier e a atriz Bárbara Bruno, que foi nossa adorável mãe. A imagem que o Zen e o Maza criaram nessa peça permitiu um jogo onde é possível explorar a teatralidade num território totalmente novo, que é o digital, o "inter-nético", do qual a cada dia nos tornamos mais escravos e dependentes.
Se o Teatro Para Alguém faz parte da maneira nova de se fazer/ver Teatro, que seja sempre  bem vindo! Sejamos então dependentes deste novo Teatro também, será enriquecedor, tenho certeza. Mas sempre é importante considerar que este formato é uma parte dessa ramificação  de trabalho e pesquisa nas artes cênicas, uma possibilidade de criação. Espaços temos aos milhares para serem ocupados, temos aí a prova de um teatro que cada vez mais foge dos espaços convencionais e assume o lugar onde as pessoas vivem, no caso do TPA, em casa, no trabalho, numa lan house, nas ruas, ou em qualquer outro lugar que essa onda digital nos permita habitar.

Sem mais delongas assista '1,26', minipeça de Zen Salles*:



*Zen Salles está no Teatro do Mezanino do Sesi -SP com a peça "POROROCA", realizada durante o Núcleo de Dramaturgia Sesi/Britsh Council. A peça que está rendendo boas críticas e excelente recepção do público fica em cartaz até dezembro com sessões gratuitas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário